Pesquisadora da USP desenvolve games que ajudam a reabilitar crianças com dislexia

13/05/2009
Game dislexia

Jogos estimulam percepção e diferenciação de sons e ajudam pacientes com dificuldade para ler e escrever

Com os estímulos do game, as crianças aprendem a diferenciar sons

A fonoaudióloga Cristina Ferraz Murphy, da Faculdade de Medicina da USP, desenvolveu um programa de computador para o tratamento de problemas relacionados à percepção auditiva. Com a ideia de que transtornos de leitura podem ser causados por uma alteração no processamento auditivo, a pesquisadora criou dois games que podem ser utilizados para reabilitação de crianças com dificuldades de aprendizagem.

 A partir de uma adaptação de um software americano, a pesquisadora, que conta com bolsa de doutorado da FAPESP, desenvolveu jogos contendo estímulos para o treinamento auditivo das crianças. “Os tipos de estímulos utilizados no jogo verbal são inéditos no Brasil”, afirmou a pesquisadora.

Por Redação:

http://revistaepocasp.globo.com/Revista/Epoca/SP/0,,EMI72097-15571,00-PESQUISADORA+DA+USP+DESENVOLVE+GAMES+QUE+AJUDAM+A+REABILITAR+CRIANCAS+COM+D.html

Anúncios

Como conhecer o cérebro dos disléxicos

06/05/2009

A compreensão do valor da leitura em nossas vidas, especialmente na sociedade do conhecimento, é base para desmistificarmos o conceito inquietante da dislexia e do cérebro dos disléxicos. A dislexia não é doença, mas compromete o acesso ao mundo da leitura. A dislexia parece bloquear o acesso de crianças especiais à sociedade letrada. Deixa-as, então, lentas, dispersas, agressivas e em atraso escolar.

Vicente Martins | 2008-06-30

http://www.scribd.com/doc/5621453/Como-conhecer-o-cerebro-dos-dislexicos


Dê Asas aos seus Filhos

03/05/2009


Há escolas que são gaiolas e há escolas que são asas. Escolas que são gaiolas existem para que os pássaros desaprendam a arte do voo. Pássaros engaiolados são pássaros sob controle. Engaiolados, o seu dono pode levá-los para onde quiser. Pássaros engaiolados sempre têm um dono. Deixaram de ser pássaros. Porque a essência dos pássaros é o voo.
Escolas que são asas não amam pássaros engaiolados. O que elas amam são pássaros em voo. Existem para dar aos pássaros coragem para voar. Ensinar o voo, isso elas não podem fazer, porque o voo já nasce dentro dos pássaros. O voo não pode ser ensinado. Só pode ser encorajado.” (Rubem Alves)