Discalculia é ainda mais comum que dislexia

Seu filho não gosta das aulas de matemática? Saiba que, se a dificuldade em lidar com números estiver associada a problemas como a falta de senso de direção, ele pode sofrer de um distúrbio chamado discalculia. E esse problema é mais comum do que a incapacidade de ler.

Um novo estudo elaborado em Cuba e divulgado em um congresso científico no Reino Unido neste final de semana avaliou 1500 crianças e constatou que de 3% a 6% delas sofriam da discalculia, contra 2,5% e 4,3% que apresentaram dislexia.

De acordo com Quezia Bombonatto, presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia, há uma série de sintomas que caracterizam a discalculia – e não apenas a dificuldade em fazer contas. “Geralmente, a criança que apresenta o distúrbio não tem boa noção espacial, confunde os conceitos de direita e esquerda, não consegue montar quebra-cabeças e não gosta de jogos de mesa, como baralho”, diz. Ou seja, é necessário o diagnóstico de um psicopedagogo para que ele diferencie o transtorno da dificuldade em aprender matemática. Consultar um neuropediatra também é importante para que se afaste a possibilidade de doenças mais graves.

Hereditário, esse transtorno é identificado em crianças a partir de 7 anos de idade. Caso o problema seja diagnosticado, saiba que seu filho pode continuar freqüentando as aulas normalmente – mas sempre acompanhado de perto pelos especialistas. “A pessoa com discalculia terá problemas com raciocínio matemático a vida inteira. Mas com o tratamento adequado, ela poderá se desenvolver satisfatoriamente”, diz Quezia.

Por Simone Tinti

http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0,,EMI5550-15145,00.html

Anúncios

4 Responses to Discalculia é ainda mais comum que dislexia

  1. Flávia disse:

    Adorei encontrar este site,me deixou muito feliz em saber que tem pessoas que se preocupam com estas crianças,mas adoraria saber mais sobre as metodologias muito obrigado é muito bom

    • manoga disse:

      Olá Flávia,

      Como funciona o sistema Tutores?
      Cada aluno é avaliado detalhadamente, através de um checklist, para que sejam mapeadas as principais causas dos problemas escolares e eventuais dificuldades de aprendizagem. Uma vez feito o diagnóstico, é desenvolvido um plano de reforço escolar individual.

      Metodologia:
      O projeto pedagógico da TUTORES enfatiza ensinar a aprender. Vale-se, para tanto, de conceitos pedagógicos que valorizam a relação de ensino e aprendizagem, e situam o educador como um agente de transformação da vida escolar do aluno.

      Por valorizarmos o projeto escolar escolhido pela família, evitamos acrescentar novos materiais que possam sobrecarregar o aluno de tarefas. Utilizando o material didático próprio da escola, o estudante consegue acompanhar melhor o conteúdo das aulas.

      Local:
      As aulas são realizadas no conforto e a segurança do lar do aluno. Podem também acontecer na residência do franqueado, em salas de aula disponibilizadas pelas escolas, em condomínios, ou outros espaços indicados pelos pais, desde que sejam adequados aos estudos.

      Técnicas de Estudos:
      Possuímos um programa altamente eficaz para desenvolver bons hábitos de estudo. Nossos alunos são orientados a gerenciar seu tempo, reconhecer seu estilo de aprendizagem, organizar o material escolar, preparar-se para provas e muitas outras dicas. A família também é instruída a participar do programa, sendo seu incentivo fundamental.

    • Doraly Suzuki disse:

      Oi,

      Tambem ja pensei se eu teria dislexia numérica, até hoje tenho muita dificuldade em guardar números telefônicos que uso com frequência, sou formada em administração e estudante de tecnologia em radiologia, tive muita dificuldade, e ainda tenho, não lembro quais números devem ser multiplicados, somados, divididos. Isso pra mim é muito frustrante, as veses eu choro escondido lá no fundo da sala, pois, não consigo acompanhar a classe com as explicações do professor. Se não fosse a boa vontade de alguns colegas e bem intencionados, eu não teria concluído nada, só que tenho trazendo um “Oco” em matemática e cálculos, me sinto “burra”, mesmo nas coisas mais simples, mas, nem sempre foi assim, pq quando eu tinha 9 anos eu era muito boa em calculos, mas, a minha professora rasgou meu caderno, e picou todas as folhas que tinham calculos matemáticos do ensino médio.
      Parei de estudar, e voltei aos estudos depois dos 21, o problema persiste, não quero deistir, mas, é muito dificil sem ajuda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: